Amor a distância

Imagem

Estar apaixonado é uma droga. Todos os seus pensamentos se voltam para a pessoa amada independente do que se esteja fazendo. Seja lavando a louça, antes de dormir, quando alguém conta uma história ou quando está abrindo a geladeira, lá está você, pensando em momentos, conversas e sorrindo à toa.

Mas pior ainda é estar apaixonado por alguém distante de você.

Pense na lua. Há algumas pessoas (como eu) que são apaixonadas pela lua. Mas você não pode toca-la, ficar perto, nem vê-la todo dia, porque assim como o amor, a lua as vezes se esconde atrás das nuvens. Mas você sabe que ela está lá, em algum lugar, esperando.

Todo mundo, ao menos uma vez na vida, vai se apaixonar por alguém que está longe de você. Vocês podem estar separados por quilômetros, um oceano ou por palavras, mas ainda estão separados. E quando a gente ama alguém, o que queremos é ficar junto daquela pessoa, nem que seja por apenas um segundo. E nem é por carência, mas porque aquilo te faz bem, e te faz feliz, mesmo que por pouco tempo.

Tem também as pessoas que namoram à distância. Quem viram noites olhando as mensagens no celular, que olham ao longe e não sabem se seus respectivos namorados estão pensando nelas ou as esquecendo e que sentem tanta saudade que têm ideias malucas o tempo todo. Mas a verdade é que quem sabe do nosso amor é a gente.

Como diz Roger de Bussy-Rabutin, “O amor faz com a distância o que o vento faz com o fogo: apaga o pequeno, inflama o grande”.

O fato que a gente precisa ter em mente é que ninguém, ninguém mesmo, pode viver esperando, esperando para sempre, por alguém que não vai voltar.

É bonito pensar que a lua nos liga a cada pessoa do mundo, inclusive a pessoa amada. Mas o bom é que, diferente da lua, quando o dia amanhecer, o amor vai estar lá, onde sempre esteve.

– Lorena Machado

Anúncios

“Dance até que o mundo acabe…

Image

A gente encana muito com as coisas da vida não é mesmo? Encanamos com o primeiro beijo, primeira vez, primeiro namorado, primeiro emprego, primeiro dia de aula em uma escola que você não conhece ninguém…

Também encanamos ás vezes com a segunda vez….

Independente de ser a milésima vez que você faz algo nunca se está completamente seguro de tudo. E quando algo da errado, é comum tentarmos culpar a primeira pessoa que lhe vem a mente.

Será que estamos certos ao culpar alguém com algo que independente do que façamos não vai mudar? Será que essa preocupação toda vale a pena?

Um exemplo é o primeiro beijo: hahaha todo mundo pelo menos uma vez já se preocupou com isso. Ficou treinando para não fazer feio… Eu já vi também uma pessoa dar o primeiro beijo em alguma pessoa qualquer para aprender e quando for beijar o esperado primeiro beijo não fazer feio.

Acho que a graça do primeiro  beijo é você aprender a beijar na hora e depois do beijo não apenas sentir aquela sensação de realização mas também uma inexplicável.

Todos sabemos também que esperar um príncipe ou um amor de Hollywood é tolice não é?

Que esperar o eterno amor também é. A graça de sermos humanos é aproveitar ao máximo a vida antes que acabe, é correr contra o tempo e não deixar nada para depois junto de alguém, é você poder sentir. Sentir mágoa, raiva, tristeza, amor, alegria, adrenalina, felicidade, compaixão…

A vida é algo que vamos viver de qualquer jeito e que essas encanações fazem parte para que depois quando tudo der certo sentirmos uma sensação diferente á cada realização.

Sim, quando tudo der certo por que sempre dá.

A vida só da errado para aqueles que desistem.

Então dance até que o mundo acabe.

-L